O teste de efluentes em sistemas de esgoto pode atuar como um teste COVID-19 para uma população inteira de uma só vez, não apenas para um indivíduo.

Os pesquisadores esperam que os resultados possam fornecer orientações a sincronização das políticas de permanência em casa e outras precauções

A Epidemiologia Baseada em Efluentes (WBE) é o monitoramento e análise de efluentes em sistemas de esgoto para obter informações epidemiológicas. A prática já se mostrou útil ao longo dos anos. Por exemplo, forneceu a detecção precoce de um surto de poliomielite em 2013 em Israel e já é uma ferramenta aceita para monitorar o uso legal e ilegal de drogas em uma população. Espera-se que a lista de usos da WBE seja expandida para incluir uma ampla gama de doenças, exposições a substâncias e efeitos do aumento da temperatura. Mas agora está sendo discutido no contexto da pandemia de COVID-19, com mais de uma dúzia de equipes de pesquisa em todo o mundo realizando testes de efluentes para o RNA viral SARS-CoV-2.

Amostra Comunitária

A WBE está otimista na luta contra o COVID-19 por várias razões. Embora existam alguns dados conflitantes, um estudo do MIT mostrou que o vírus que causa a doença é mais fácil de detectar nos sistemas de esgoto do que o vírus da gripe, porque maiores quantidades de vírus são excretadas por pessoa.

O teste de efluentes em sistemas de esgoto também pode atuar como um teste COVID-19 para uma população inteira de uma só vez, não apenas para um indivíduo. A professora da Universidade de Michigan, Krista Wigginton, que está trabalhando em um projeto WBE na Universidade de Stanford, explicou: “É a combinação perfeita … Você tem amostras de toda a comunidade ao mesmo tempo”.

Embora o teste aleatório de indivíduos em áreas altamente povoadas possa fornecer uma imagem bastante precisa da prevalência da doença, o desenvolvimento de uma amostra grande o suficiente se torna problemático em áreas menos povoadas e a WBE pode compensar o período de baixa atividade. Ainda que alguns duvidem da utilidade da WBE no combate ao COVID-19, poderia ser muito mais barato que testes clínicos e rastreamento de contatos.

Pode levar até 14 dias após a infecção para que os sintomas do COVID-19 apareçam, mas agora se sabe que a evidência da doença é verificável em efluentes apenas três dias após a infecção. Devido ao longo período de incubação da doença, a WBE pode permitir a detecção de surtos de COVID-19 muito antes das vítimas apresentarem sintomas. As descobertas podem fornecer orientações em tempo real se as reaberturas são oportunas ou prematuras e que testes simplificados já estão em andamento.

Ainda que a aplicação WBE no COVID-19 ainda esteja em suas etapas iniciais, houve desenvolvimentos promissores:

  • Um estudo holandês detectou a doença nos efluentes logo após ser tradicionalmente detectada pelos profissionais de saúde.
  • Um programa WBE já sugeriu que uma área metropolitana não revelada em Massachusetts tem exponencialmente mais casos de COVID-19 do que os 500 indicados por testes individuais.
  • Programas franceses e australianos da WBE também detectaram a doença.

A esperança agora é que a WBE ajude a detectar e prevenir ondas sucessivas do vírus, à medida que o mundo aguarda imunidade coletiva, tratamentos, vacinas e testes individuais para dominar a situação. No entanto, a quantidade média de vírus excretada por pessoa ainda é menos segura do que deveria para fazer projeções precisas.

Eric Alm, professor do MIT, disse que ele e sua equipe agora podem monitorar os dados de águas residuais de 150 plantas de tratamento de efluentes nos Estados Unidos para uma cobertura de 10% da população e planejam expandir o programa para incluir 1.000 municípios daqui a um mês.

O Dr. Paul Bertsch, que geralmente usa a WBE na Austrália como uma ferramenta de aplicação da lei, sugeriu que os epidemiologistas abordem as agências policiais que já usam a WBE para detectar drogas ilegais e, assim, alavancar seus conhecimentos.

Embora os cientistas estejam preocupados com o fato de não serem coletadas informações suficientes para fazer previsões precisas até o término das medidas e bloqueios de distanciamento social, é claro que a tecnologia WBE entrou na via rápida.

MANTENHA-SE CONECTADO

Registre-se para conhecer as últimas notícias, tendências e inovações em tratamento de água, efluentes e reúso.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.